Nas etapas regionais, comunidade, gestores e trabalhadores discutem demandas para melhoria dos serviços e colaboram com a elaboração do Plano Plurianual de Saúde do Distrito Federal referente aos anos de 2024 a 2027

As regiões de saúde Norte e Sudoeste realizaram, nesta quarta-feira (29), as suas etapas da Conferência Regional de Saúde de 2023. O objetivo é analisar e discutir demandas para melhoria dos serviços de saúde e colaborar com a elaboração do Plano Plurianual de Saúde do Distrito Federal referente aos anos de 2024 a 2027.

“É uma importância muito grande poder levar nossas ideias para que os nossos gestores e governantes vejam que a população está ativa, está presente. Com as conferências, mostramos que temos voz, não é só no voto”

Jorge Amorim, morador de Sobradinho

A Região de Saúde Norte reuniu, no Teatro de Sobradinho, gestores, trabalhadores, usuários e representantes de moradores das regiões administrativas de Sobradinho, Sobradinho II, Fercal e Planaltina. Cerca de 250 pessoas participaram.

O debate coletivo visa otimizar e ampliar as políticas públicas do setor, como explica o presidente do Conselho Regional de Saúde de Sobradinho, Aécio Alves. “Um momento ímpar para discutir como a gente pensa a política da região norte. Os gestores, trabalhadores e usuários têm a oportunidade de buscar a melhoria do serviço de saúde da região. A gente conseguiu colocar um público bastante diversificado, muitas propostas boas vão sair daqui, vamos entregar um bom produto”, afirmou.

Residente em Sobradinho há 50 anos, Jorge Amorim foi um dos moradores locais que contribuiu e participou da iniciativa. “É uma importância muito grande poder levar nossas ideias para que os nossos gestores e governantes vejam que a população está ativa, está presente. Com as conferências, mostramos que temos voz, não é só no voto”, disse.

Cerca de 250 pessoas participaram das discussões no Teatro de Sobradinho, entre gestores, trabalhadores, usuários e representantes de moradores de Sobradinho, Sobradinho II, Fercal e Planaltina | Foto: Divulgação/SES

A relevância da participação dos usuários, durante o evento, é um diferencial, conforme ressaltou o superintendente da Região Norte, Ivan Paulo Rego de Souza: “É importante porque não é um evento de técnicos somente, mas toda a comunidade é ouvida. Dá oportunidade ao cidadão, ao leigo, de influenciar nas políticas que a Secretaria de Saúde vai implementar ou não”.

A comunicação entre os gestores e a população, depois das conferências, é fundamental. A gente percebe que o usuário fica mais ativo no que diz respeito a opiniões, a propostas, ao que está sendo feito de errado ou não. E os gestores conseguem escutar e adequar melhor para a região

Kaline Galvão, servidora da Gerência de Serviço de Atenção Primária 3 de Planaltina

Os profissionais da área de saúde também tiveram espaço para colaborar e somar com a atividade. Um deles foi a servidora da Gerência de Serviço de Atenção Primária (GSAP) 3 de Planaltina Kaline Galvão, que vê a conferência como um espaço de construção em conjunto: “Aqui surgem as novas ideias, são discutidos os temas e levados para as instâncias superiores para poder efetuar de verdade o que está sendo proposto. É a participação de todos em um único propósito que é melhorar o SUS, que a gente tanto acredita”, pontuou.

A proximidade entre os gestores e o cidadão pode ser citada como mais um ganho para a sociedade. “A comunicação entre os gestores e a população, depois das conferências, é fundamental. A gente percebe que o usuário fica mais ativo no que diz respeito a opiniões, a propostas, ao que está sendo feito de errado ou não. E os gestores conseguem escutar e adequar melhor para a região”, disse Kaline Galvão.

Apresentações culturais do coletivo Gritart, grupos de trabalho, eleição dos delegados e plenária final fizeram parte da programação.

Região de Saúde Sudoeste

A Região de Saúde Sudoeste, que compreende Águas Claras, Arniqueira, Recanto das Emas, Samambaia, Taguatinga e Vicente Pires, reuniu cerca de 176 participantes. Do evento, realizado no Centro Universitário Estácio, em Taguatinga Sul, participaram gestores, trabalhadores e usuários do serviço de saúde. “Viemos para a conferência em busca de conhecer e discutir nossos direitos”, comentou Ana Luisa Carvalho, moradora de Águas Claras, que participou da reunião pela primeira vez.

A secretária-executiva do Conselho de Saúde da Região Sudoeste, Hélia Morato, ficou satisfeita com a participação nos grupos: “As discussões foram muito ricas. Tivemos palestrantes e relatores em cada grupo para incentivar a conversa”.

“A conferência regional é importante porque daqui saem as ideias que nos interessam e escolhemos pessoas para defendê-las nas próximas conferências”, reforçou a diretora administrativa da Região Sudoeste, Lourdes Almeida.

Plano Plurianual de Saúde

O debate público tem como objetivo colaborar com a elaboração das diretrizes do Plano Plurianual de Saúde do Distrito Federal referente aos anos de 2024 a 2027. As propostas formuladas pelos representantes das regiões Norte e Sudoeste serão encaminhadas para a 11ª Conferência Distrital de Saúde. Em um segundo momento, os debates serão no âmbito nacional, na 17ª Conferência Nacional de Saúde, em julho.

Clique aqui saiba mais sobre a 11ª Conferência Distrital de Saúde.

*Fonte: Agência Brasília, Edição: Claudio Fernandes, com informações da Secretaria de Saúde