Embrenhei-me na floresta um dia,
Para respirar o ar puro das matas,
Sentir o perfume das flores,
Ouvir o cântico dos pássaros,
E afastar minha melancolia.
***
Foi andando e respirando
Este ar puro,
Que fui ficando renovado,
À medida que andava, reconhecia,
Que o lugar era sagrado.
***
Avistei uma clareira ao longe,
E comecei a percorrê-la,
Estava sentindo uma alegria tão grande
Que não sabia o porquê,
Ou de onde vinha,
Só sei que tinha,
Acabado de vez,
Com a melancolia.
***
Ao fim da clareira,
Junto ao tronco de uma árvore,
Estava encostada, sorrindo,
Toda brejeira,
Com seus cabelos negros e lisos,
Seus olhos castanhos.
A mais linda brasileira.

Por Vivaldo Terres é escritor & poeta 

Contato: vivaldo.itj2@gmail.com