Com as graves denúncias, distrital defende o aperfeiçoamento dos instrumentos de controle e sugeriu que a CLDF crie uma comissão de acompanhamento das investigações junto à Secretaria de Segurança

O Vice-Presidente da Assembleia Legislativa do Distrito Federal (CLDF), Deputado Distrital Ricardo Vale (PT), repudiou, em plenário, o desvio de recursos do Programa de Descentralização Administrativa e Financeira (PDAF) de uma escola de Sobradinho. As supostas fraudes são investigadas pela Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) por meio da Operação Sonserina.

“É lamentável um caso como esse, porque roubar dinheiro das escolas é roubar o futuro da nossa cidade”, disse o deputado que aproveitou para lembrar que o episódio não desqualifica o PDAF, pois o instrumento de repasse beneficia a gestão de milhares de escolas na Capital Federal. “A mudança do PDAF foi feita justamente para garantir que os recursos públicos chegassem de forma mais objetiva e rápida para as escolas. Lembro que, em 2017, fui um dos distritais que mais destinou recursos, cerca de cem escolas foram atendidas, e, este ano, 60 já foram contempladas. Não podemos deixar que o desvio de conduta de um abale a importância do programa”, argumentou.

O parlamentar fez questão de ressaltar que antes do PDAF as escolas não conseguiam fazer reparos emergenciais simples e que está fazendo uma verdadeira transformação na educação pública. “Muitas escolas, agora, têm salas de aulas bem equipadas, laboratórios e conseguem comprar materiais pedagógicos, por isso, precisamos cuidar do PDAF. Ele não pode ser desvirtuado e, para isso, os órgãos de fiscalização precisam aperfeiçoar os mecanismos de controle, assim como o próprio GDF tem que acompanhar mais de perto a aplicação dos investimento”.

Após a manifestação para os distritais, Vale sugeriu que a CLDF crie uma comissão para conversar com a Secretaria de Segurança para acompanhar as investigações, garantindo que a aplicação dos recursos e o benefício para a comunidade não seja comprometido com escândalos de corrupção.

Fonte: Comunicação Ricardo Vale (PT)