Vivia eu triste no anonimato,

 

Sem esperança de reencontrar o amor;

 

Meu peito coitado de tanto sofrer!

 

Já se considerava um sofredor.

 

***

 

Mas eis que entrando em contato telefônico,

 

Um fio de esperança apareceu,

 

Só porque uma linda voz!

 

Uma voz misteriosa me atendeu.

 

***

 

Esta voz era bela e cativante…

 

Apesar de ser humana…

 

Mas se expressava num tom angelical;

 

Coisas tão lindas que a mim foram ditas,

 

Que fizeram de mim o mais feliz mortal.

 

***

 

Pois amando esta voz, amo a pessoa!

 

Eu vejo a mulher por outro ângulo;

 

Ela pode ser feia ou ser bonita,

 

Da mesma forma continuo amando.

 

***

 

A beleza da alma é que importa,

 

É esta beleza verdadeira;

 

Pois não acredito que alguém se sinta satisfeito,

 

Em viver com uma mulher bonita,

 

Mas incompreensiva à vida inteira.

 

Vivaldo Terres é escritor e poeta

Contacto: vivaldo.itj2@gmail.com