Para inspirar suas próximas programações ao ar livre, confira uma série de opções no DF marcadas pela biodiversidade para se reconectar

(*) Ana Flávia Castro

Apartamento localizado na zona rural do DF

No centro do Planalto Central, a capital federal é emoldurada pelo segundo maior bioma da América do Sul. Entre as frutas, flores multicoloridas e caules retorcidos que fazem parte do DNA do Cerrado, a riqueza natural da região encanta brasilienses e turistas com suas belezas naturais.

Nem tão longe das curvas e cobogós que fazem parte do modernismo do quadradinho, os brasilienses também podem fugir do cenário urbano e aproveitar as regalias que uma capital verde pode oferecer.

Para celebrar o Dia do Turismo Ecológico, comemorado nessa semana, confira uma seleção de locais no Distrito Federal para se reconectar com a natureza, uma demanda que reinou soberana nos dias de isolamento.

Rota do cavalo

No Núcleo Rural de Sobradinho, a apenas 30 km da DF-440, a Rota do Cavalo abriga 25 haras e ranchos, quatro restaurantes, um hotel-fazenda e uma enorme área marcada por sua plural biodiversidade.

No roteiro pouco explorado da capital, os visitantes podem cavalgar, praticar esportes equestres, se aventurar por trilhas, tomar banho de rio e se deliciar com os saborosos produtos rurais.

A região fica dentro do quadrilátero delimitado por quatro rodovias distritais (BR-020, DF-001,DF-330 e DF-440).

Floresta Nacional de BrasíliaReprodução

Brasis Ateliê Gastronômico, no Lago Oeste
Salto do Tororó
Floresta Nacional de Brasília

Salto do Tororó

Localizado a apenas 50 km do centro de Brasília, o Salto do Tororó é um dos locais mais procurados para banhos de cachoeira e ecoturismo no DF. O lugar é bastante frequentado por praticantes de rapel e mountain bike, mas também oferece opções de lazer para toda a família.

Para completar a aventura, o Salto do Tororó possui 18 metros de altura, e a trilha até a queda-d’água é de apenas 2 km, uma caminhada repleta de borboletas, pássaros e flores do Cerrado.

Lago Oeste

A região ecológica, a cerca de 25km do centro da capital, esbanja natureza bem preservada. Localizado na Região Administrativa de Sobradinho, o Lago Oeste abriga a Reserva Biológica da Contagem e parte do Parque Nacional de Brasília. Por lá, há opções de hospedagem, gastronomia, trilhas como a do Calango e a do sítio Tatara. O local é conhecido pela produção de queijos finos e artesanais, e conquista os visitantes com a experiência na zona rural.

Os caminhos, ruas e travessas do local são de terra, com muita vegetação nativa de Cerrado. As chácaras, com suas cercas vivas e plantações diversas, garantem a rusticidade e o clima de vida no campo, em uma integração harmoniosa com a natureza.

Parque Nacional de Brasília

Também conhecido como Água Mineral, o parque se espalha por mais de 42 mil hectares de Cerrado preservado, com trilhas ecológicas sinalizadas. Suas piscinas de água corrente, principal atrativo, são abastecidas pelas águas que vertem de diversas nascentes da própria unidade de conservação e deságuam no lago Paranoá.

Floresta Nacional de Brasília – Flona

Localizada na região de Taguatinga, a Floresta Nacional de Brasília possui a maior trilha sinalizada em uma unidade de conservação do país. Criada em 1999, a Flona tem uma área de 9 mil hectares de Cerrado e ajuda a preservar a nascente do Rio Descoberto, responsável por 70% do abastecimento de água potável do Distrito Federal.

Flona é aberta à visitação e dispõe de trilhas indicadas para todos os gostos. Seja de bicicleta ou a pé, a floresta é uma verdadeira aventura para os amantes da fauna e da flora do Cerrado.

Neste mês de fevereiro, o portal Metrópoles realizou uma matéria com seis trilhas no DF para fugir da rotina e curtir a natureza em família. Leia a reportagem completa.

(*) Fonte: Ana Flávia Castro/Metrópoles – DF