A força-tarefa do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) que acompanha as ações de combate à pandemia está preocupada com a distribuição de vacinas contra covid-19 para servidores federais. A avaliação é de que o Ministério da Saúde deve enviar cotas específicas para os funcionários públicos da União, inclusive das forças de segurança, como policiais federais, policiais rodoviários federais e membros das Forças Armadas, e agora recentemente integrantes da Agência Brasileira de Inteligência (Abin).

Servidores da Anvisa e do próprio Ministério da Saúde também serão contemplados. Para acelerar a imunização na capital, o Ministério Público espera que o Distrito Federal seja tratado como capital e sede do governo federal, com as suas peculiaridades. Para isso, basta que Brasília receba cotas extras para atender esse contingente federal sem sobrecarregar os demais moradores do DF.

Turismo de vacina

Não dá para contabilizar. Mas é cada vez mais comum que moradores de outras unidades da federação venham visitar seus familiares em Brasília — de onde há famílias de todas as origens do país — para receber uma dose de imunizante. O SUS é universal. Mas o DF precisa receber vacinas extras para atender o turismo de vacinas.

Fonte: Blog CB Poder/ Ana Maria Campos / Eixo Capital – Foto: ED ALVES/CB/D.A PRESS