O jovem brasiliense sempre gostou muito de escrever, incluindo outros gêneros textuais como crônicas, poesias e contos, e planeja cursar engenharia da computação na UnB

Lucca Santos Aguilar, 17 anos, morador de Sobradinho, (foto) foi o único estudante do Distrito Federal a tirar mil na redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2023. Em todo o país, 60 candidatos conquistaram a nota máxima. O jovem brasiliense sempre gostou muito de escrever, incluindo outros gêneros textuais como crônicas, poesias e contos, e planeja cursar engenharia da computação na Universidade de Brasília (UnB).

“Me sinto honrado e muito feliz por essa conquista, pois eu realmente não esperava que um sonho tão grandioso fosse se tornar realidade. Isso é fruto do meu esforço e do apoio da minha família, dos meus professores e de todos que estiveram ao meu lado nessa jornada”, conta Lucca ao Correio, que terminou o ensino médio no ano passado na Escola Leonardo da Vinci, na Asa Norte.

Das 60 redações que tiraram nota máxima, apenas quatro estudantes da rede pública alcançaram mil pontos. Para Lucca, esse dado evidencia a disparidade de oportunidades entre os estudantes brasileiros. O jovem cobra atenção das autoridades. “A educação é um direito humano essencial e todo jovem, independentemente da instituição de ensino, cidade ou classe social, deve se sentir capaz de ser um aluno nota 1000”, defende o estudante.

O tema da redação deste ano foi “Desafios para o enfrentamento da invisibilidade do trabalho de cuidado realizado pela mulher no Brasil”. 

Lucca avaliou positivamente a abordagem do Enem. Segundo ele, o tema foi pertinente à realidade do país. “O Brasil é uma nação culturalmente preconceituosa e esses estigmas afetam de diversas formas as pessoas, sobretudo a população feminina. Uma faceta dessa triste realidade é a invisibilidade do trabalho realizado pelas cuidadoras e donas de casa, que muitas vezes escutam coisas como ‘Está cansada? Mas você nem trabalha direito”‘, opina.

O jovem defende que as mulheres que exercem o trabalho do cuidado devem ter o esforço reconhecido e os direitos valorizados. “Seus trabalhos não devem representar um empecilho para seu desenvolvimento pessoal e não devem atrapalhar seus estudos. Quando uma prova nacionalmente reconhecida decide abordar esse assunto, é natural que as pessoas passem a refletir sobre o tema e observar a realidade de forma mais crítica, o que é sensacional”, argumenta o estudante.

Lucca afirma que a escolha do curso voltado para a área de tecnologia se deve ao potencial de impacto social. “Através do desenvolvimento de aparelhos e próteses médicas, programas de inteligência artificial diversos e aparatos tecnológicos que podem reduzir impactos ambientais. Sinto que vou ser feliz trabalhando nessa área e estarei ajudando outras pessoas, isso não tem preço”, cita.

Para alcançar a nota mil,  Lucca diz que lia bastante, o que o auxiliou no desenvolvimento do vocabulário e do senso crítico. “Outra coisa que me ajudou bastante a melhorar minha escrita foi participar de atividades extracurriculares, como a Iniciativa Logos e o programa júnior da Academia de Ciências de Nova York, projetos voltados para a iniciação científica de estudantes de escolas públicas e particulares. Participando deles, pude escrever artigos científicos, conhecer novas pessoas e estudar sobre assuntos diversos”, lembra o jovem.

Família como alicerce

O apoio da família na jornada estudantil foi essencial para Lucca. “Meus pais sempre foram meus fãs número um e sou muito privilegiado nisso. Graças a eles, pude fazer um curso de inglês, estudar em boas escolas, participar de um programa da rede pública para alunos com altas habilidades [no Centro de Ensino Fundamental 08 de Sobradinho II] e me desenvolver plenamente dentro e fora do âmbito acadêmico. Minha família sempre foi meu alicerce, está comigo nos momentos difíceis e também nas comemorações e eu sou muito grato por isso”, declara.

Lucca é filho de Oswaldin Santos, que é bancário, e da professora Lucimere Aguilar. A mãe do estudante atribui o excelente desempenho do filho no Enem ao trabalho coletivo que envolveu os pais, a escola e o próprio Lucca.  “Desde pequeno oferecemos muitas oportunidades para o Lucca, assim, ele teve a chance de vivenciar algumas coisas e escolher aquilo que mais o agradava. É uma sensação de alegria e orgulho muito grande. Além de ter tirado a nota 1000 na redação do Enem, ele se destacou muito, pois foi a única pessoa do Distrito Federal. É uma satisfação muito grande, sentimento de missão cumprida, pois ele é um menino muito esforçado, com dedicação e disciplina podemos colher bons frutos”, conta Lucimere.

O jovem sonha em poder trabalhar na Agência Espacial Norte-Americana (Nasa) ou na Microsoft, além de fazer uma segunda graduação, mestrado ou doutorado em uma instituição de renome internacional, como Massachusetts Institute of Technology (MIT) ou a Universidade de São Paulo (USP). Lucca também almeja viajar pelo mundo.

“Eu valorizo muito a prática da cidadania, quero estar presente em projetos voluntários, impactar positivamente as pessoas e o mundo através das minhas ações e inspirar outros jovens a serem protagonistas em suas comunidades. Também carrego sonhos de infância, como ter um gatinho de estimação e escrever um livro, que, um dia, também se tornarão realidade”, relata Lucca.

Dicas do aluno nota mil

Lucca afirma que cuidar da saúde mental é fundamental no processo de estudar para vestibulares. “Não adianta saber todo o conteúdo, todos os repertórios possíveis, todas as fórmulas, mas não conseguir fazer a prova devido a uma crise de ansiedade ou não se sentir confiante e relaxado. Essa reta final do ensino médio é cheia de pressão e autocobrança, um período difícil de se navegar, e é importante cuidar de si”, ressalta.

Sendo assim, o jovem recomenda que os candidatos do Enem façam atividades físicas, passem tempo com as pessoas que ama, conectem-se com a espiritualidade (se houver) e pratiquem hobbies.  Outra dica dada pelo estudante é tentar encontrar um parceiro de estudos ou montar um grupo com essa finalidade.

“Estar com outras pessoas pode te ajudar a manter a disciplina, tirar suas dúvidas e te motivar. Mas é importante avaliar se isso é produtivo para você e entender melhor os métodos de estudo que mais te agradam. Tenho certeza que todos são capazes de obter resultados incríveis e vale lembrar que cada trajetória é única, a comparação não vai te ajudar nesse caminho. Dedique-se, busque apoio e não desista de alcançar seus objetivos”, finaliza Lucca.

Fonte: Aline Gouveia/Correio Braziliense- Foto: Ed Alves/CB/DA.Press – Caderno Eu Estudante