domingo, junho 23, 2024
InícioArtigosConheça o trabalho das equipes multiprofissionais da rede de saúde do DF

Conheça o trabalho das equipes multiprofissionais da rede de saúde do DF

Atuando de forma integrada, especialistas – em 52 eMulti – ajudam a ampliar serviços e a buscar soluções mais rápidas para os pacientes

Imagine reunir o conhecimento de assistentes sociais, nutricionistas, fisioterapeutas, psicólogos, terapeutas ocupacionais, fonoaudiólogos e farmacêuticos para disseminar na rede de saúde cuidados integrados no atendimento à população. É o que acontece com as 52 equipes multiprofissionais do Distrito Federal, chamadas de eMulti, formadas por diferentes especialistas da área da saúde, que atuam de maneira integrada e complementar para dar suporte clínico, sanitário e pedagógico às equipes de Saúde da Família (eSF) e de saúde bucal (eSB) nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs).

“A base do trabalho das eMultis deve ser a integração com as eSF do seu território, com reuniões periódicas em que tratem das demandas prioritárias e casos complexos, onde sejam construídas, em conjunto, as soluções possíveis”, explica a gerente de Áreas Programáticas de Atenção Primária à Saúde (GAP) da Região Sudoeste, Mariana Suguino.

52 equipes multiprofissionais atuam de forma integrada e complementar para dar suporte as equipes de Saúde da Família e de Atenção Básica no DF. Foto: Jhonatan Cantarelle/Agência Saúde-DF

Os ganhos vão desde o aumento na oferta de serviço à troca de experiências entre os servidores, beneficiando a comunidade com soluções mais rápidas. “Aumentamos a resolubilidade da Atenção Primária à Saúde (APS). Conseguimos diminuir o número de casos regulados e encaminhados para os outros níveis de atenção, reduzimos o número de internações sensíveis à APS e promovemos a autonomia e o autocuidado da população com a própria saúde”, exemplifica a nutricionista na eMulti da Gerência de Serviços da Atenção Primária (Gsap 6) de Sobradinho II, Cleide Lopes.

Como funciona


Entre os projetos dessa eMulti há o atendimento coletivo de nutrição para pessoas com obesidade. Nos encontros, que ocorrem na UBS 2 da região administrativa a cada 15 dias, os profissionais e residentes acolhem os pacientes e fazem controle de pesagem e triagem nutricional. Durante a roda de conversa, que dura uma hora e meia, os participantes passam por dinâmicas de como montar refeições mais nutritivas, esclarecem dúvidas e apresentam demandas e contribuições.

“A eMulti entra para ajudar a controlar, resolver uma demanda e passar as coordenadas para que as outras equipes mantenham o acompanhamento”, explica a nutricionista. Se necessário, a eMulti também pode fazer um acompanhamento individual da situação do paciente.

Direcionada ao grupo nutricional após exames que indicaram gordura no fígado, Niçon Glória Lopes, de 62 anos, fala com entusiasmo da nova experiência. “Estou empolgada para participar, acho que vou aprender a me alimentar melhor e isso vai melhorar a minha saúde.”

A cada 15 dias, a paciente Niçon Glória Lopes recebe orientações sobre alimentação nutricional saudável na UBS 2 de Sobradinho. O serviço é reflexo da atuação integrada com a eMulti equipe multidisciplinar que atende na região administrativa.  Foto: Jhonatan Cantarelle/Agência Saúde-DF

As dores geradas por uma hérnia de disco e a necessidade de perder peso levaram Adriana Maia ao atendimento coletivo de nutrição. “Estou gostando bastante de aprender sobre alimentação. A equipe passa muitas informações boas, é prestativa e muito profissional”, avalia.

Após os encontros coletivos, caso haja necessidade, o paciente pode ser encaminhado para atendimentos individuais. Para participar da atividade é preciso que a equipe de Saúde da Família (eSF) da UBS compartilhe o caso com a eMulti e que, juntos, os profissionais concluam que é necessário o acompanhamento.

Atualmente, a eMulti de Sobradinho II é formada por nutricionista, terapeuta ocupacional, fisioterapeuta e psicóloga. Além do projeto de nutrição, a equipe possui um grupo de dança e oferta práticas corporais, como auriculoterapia, Lian Gong e meditação, visitas domiciliares, projeto terapêutico e reuniões de matriciamento, em que ocorrem discussões de casos compartilhados e os momentos de educação permanente e continuada.

Integração

As eMultis, antigos Núcleos Ampliados de Apoio à Saúde da Família (Nasf), devem ser vinculadas a equipes ou serviços, por exemplo, da Saúde da Família, Saúde da Família Ribeirinha, Consultório na Rua, Atenção Primária ou de Unidade Básica de Saúde Fluvial. É o que prevê a Portaria 635/2023 do Ministério da Saúde que instituiu as modalidades das equipes.

Elas são classificadas em três modalidades: ampliada, complementar e estratégica. As duas primeiras cumprem carga horária mínima de 300 e 200 horas semanais, respectivamente. Já a estratégica faz 100 horas por semana, no mínimo.

“As eMultis ampliam o leque de possibilidades terapêuticas disponíveis para a população”, destaca o gerente de Planejamento, Monitoramento e Avaliação (GPMA) da Região de Saúde Norte, Bruno Nery.

As eMultis podem ser formadas por assistente social, nutricionista, fisioterapeuta, psicólogo, terapeuta ocupacional, fonoaudiólogo e farmacêutico.  Foto: Jhonatan Cantarelle/Agência Saúde-DF

‌Apenas na Região Norte de Saúde – integrada por Planaltina, Sobradinho, Sobradinho II e Fercal – 27 profissionais formam eMultis. É possível encontrar as equipes na UBS 5 do Arapoanga, na UBS 4 Estância Planaltina, na UBS 3 Nova Colina em Sobradinho, na UBS 5 do Setor de Mansões em Sobradinho II e na UBS 1 da Fercal.

As equipes multiprofissionais utilizam o espaço físico das unidades básicas, onde são realizadas atividades individuais e coletivas. Dessa forma, as UBSs funcionam como ponto de apoio, mas os profissionais atendem ao território de toda a região, o que pode significar mais de uma unidade básica.

Além de integração no cuidado do paciente, o trabalho em conjunto resulta em mais qualidade para a rede de saúde. “As eMultis trouxeram especialistas para a APS. Assim, permitiram ampliar o escopo das ações de saúde, qualificando o cuidado, melhorando a resolutividade da atenção primária”, acrescenta a gerente GAP da Região Sudoeste, Mariana Suguino.

Fonte: Rafaella Felix, da Agência Saúde-DF , Edição: Amanda Martimon

Emícles Nogueira Nobre Júnior
Emícles Nogueira Nobre Júniorhttp://jornaldesobradinho.com.br
Jornalista Profissional DRT 12050/DF, Blogueiro, Gestor Comercial & Diretor Geral do Jornal de Sobradinho.
RELATED ARTICLES
- Advertisment -

Most Popular

Recent Comments

error: Conteúdo protegido
WhatsApp chat