Expectativa da Secretaria de Educação é finalizar a aplicação de doses do imunizante até o próximo domingo (11/7)

Sala de aula

Com o plano de vacinação contra a Covid-19 de profissionais da educação próximo de ser concluído, o retorno das aulas na rede pública já tem data e sistema definidos. Dia 2 de agosto os estudantes voltam aos bancos escolares de maneira híbirida.

Esta é, pelo menos, a terceira vez que o GDF estabelece um cronograma de regresso. Ano passado havia a expectativa de retornar ainda em agosto, mas com o agravamento da pandemia, o data foi postergada para 8 março. Porém, mais uma vez o retorno às salas de aula precisou ser adiado, devido à chegada da segunda onda de infecção da Covid-19.

Desta vez, com professores e outros funcionários vacinados, a Secretaria de Educação crê que será possível cumprir, finalmente, o calendário.

Os últimos profissionais que faltam receber o imunizante devem ser vacinados entre esta quarta-feira (7/7) e domingo (11/7). Nestas datas, 20 mil doses fabricadas pela Janssen Farmacêutica serão usadas em profissionais de todas as escolas das coordenações regionais de ensino de Ceilândia, Gama, Sobradinho, Núcleo Bandeirante e Plano Piloto.

“Vamos voltar às aulas presenciais no dia 2 de agosto em todas as escolas da nossa rede. Obedeceremos os protocolos sanitários, com distanciamento entre os estudantes, aferição de temperatura, higienização das mãos com álcool gel. Então, teremos um modelo híbrido, em que metade da turma irá para a escola e a outra metade assistirá de casa, alternando-se a cada semana”, diz o secretário de Educação, Leandro Cruz.

Leandro Cruz, secretário de Educação do DF

Leandro Cruz, secretário de Educação do DF, anunciou o retorno às aulas por ensino remoto devido aos casos de Covid-19

Balanço da vacinação

O Plano de Vacinação da Educação começou em 21 de maio. Na primeira fase, apenas professores das creches públicas, conveniadas com o setor público e privadas foram vacinados, além dos grupos dirigentes das escolas públicas.

Esta primeira etapa contou com vacinas AstraZeneca e Coronavac. A segunda fase do plano, porém, abarcou todas as demais fases do ensino básico e foi feita com a vacina da Janssen, cujo protocolo de uso prevê dose única.

Fonte: Matheus Garzon, Foto: Rafaela Felicciano/Metrópoles