Há muitos anos…

 

Acreditei no amor,

 

Pensei que o mesmo.

 

Era só felicidade,

 

Sem mentira e sem saudade.

 

***

 

Como me iludi por assim pensar…

 

Fui traído e humilhado,

 

Por no amor acreditar.

 

***

 

O amor se apresenta,

 

Sem mágoa e desilusão.

 

E penetra sutilmente,

 

No inexperiente coração.

 

***

 

Pois aconteceu!

 

Com o meu coração coitado…

 

O amor entrou de mansinho,

 

Depois viu o resultado.

 

Acabei de bar em bar,

 

Para matar esta saudade.

 

***

 

Caro jovens vou falar…

 

Sem exagero.

 

Cuidado com o tal do amor,

 

Ele vem como quem, não quer nada.

 

Todo brilhante e faceiro,

 

Depois de ele penetrar…

 

No coração muitas vezes.

 

De lágrimas faz molhar,

 

Seu travesseiro.

 

 

Fonte: Vivaldo Terres/ Escritor & Poeta