A Secretaria de Saúde do DF aguarda as orientações do Ministério da Saúde para iniciar a campanha

O Ministério da Saúde antecipou a entrega da primeira remessa de vacinas contra a gripe no DF. Com o aumento da circulação de vírus respiratórios no país, a campanha de imunização terá início em março no Centro-Oeste, Nordeste, Sul e Sudeste. A Secretaria de Saúde do DF aguarda as orientações do Ministério da Saúde para iniciar a campanha.

Ainda não há vacinas contra a gripe nos postos de saúde do Guará e de Santa Maria no DF. A pasta de saúde aguarda as regras de aplicação divulgadas pelo Ministério. A estudante de odontologia, Mikaella Schneider, 26 anos, foi à Unidade Básica de Saúde no Guará para se vacinar contra covid-19 e para verificar se já poderia tomar a dose do imunizante contra a gripe. “Mas me falaram que ainda não chegaram as doses. Eu vim atrás porque é bom tomar a vacina”.

As aulas de Mikaella vão voltar, e como ela vai ter matérias clínicas, destaca que vai ter muito contato com outras pessoas e é bom ter a garantia de que está protegida e está protegendo os pacientes contra o vírus gripal. “Eu sempre estou com a vacina em dia. Acho muito importante, ainda mais por ser da área da saúde”.

Antônio Lima Moreira. 72 anos, é aposentado, e foi botar algumas vacinas em dia no postinho. Ele já está aguardando para ir novamente lá e receber a dose da vacina de gripe. “Eu sempre tomo, não fico sem, e ainda incentivo as outras pessoas a se vacinarem também. Tem gente que não gosta de agulha, mas faz bem”. Ele mora perto do posto, e sempre está por lá, quando precisa colocar o cartão de vacina em dia.

O Ministério da Saúde divulgou uma nota nesta quarta-feira (6) sobre a antecipação da distribuição de doses, mas ainda não há data certa de quando isso vai ser feito. Segundo o órgão, a estratégia de distribuição das doses ainda está sendo pactuada com as Secretarias de Saúde. Ainda está sendo feita pelo Programa Nacional de Imunização, uma nota técnica para orientar os estados e municípios a iniciarem as campanhas regionais em todo o país.

A vacina que vai ser distribuída é trivalente. Ela apresenta três tipos de cepas de vírus em combinação, para uma proteção maior contra os principais vírus em circulação no Brasil. A primeira remessa de imunizantes foi entregue com os esforços do órgão, junto ao Instituto Butantan e o Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS).

De acordo com as diretrizes do órgão, podem se vacinar as crianças de 6 meses a menores de 6 anos; crianças indígenas de 6 meses a menores de 9 anos; trabalhadores da Saúde; gestantes; puérperas; professores dos ensinos básico e superior; povos indígenas; e idosos com 60 anos ou mais.

Além desses grupos, pessoas em situação de rua; profissionais das forças de segurança e de salvamento; profissionais das Forças Armadas; pessoas com deficiência permanente; e pessoas com doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, independente da idade, também podem se vacinar.

Também podem se vacinar, os caminhoneiros; trabalhadores do transporte rodoviário coletivo (urbano e de longo curso); trabalhadores portuários; funcionários do sistema de privação de liberdade; e a população privada de liberdade, além de adolescentes e jovens sob medidas socioeducativas (entre 12 e 21 anos).

Ainda de acordo com o Ministério, as crianças que vão receber o imunizante pela primeira vez, devem tomar duas doses com um intervalo de 30 dias.

Fonte: Jornal de Brasília