Leandro de Barros Soares matou a mulher asfixiada em junho de 2021. Casal tinha dois filhos. O feminicida foi condenado no Tribunal do Júri nesta terça

O feminicida Leandro Bastos Soares passou por júri popular pelo assassinato da mulher

Após ser julgado no Tribunal do Júri nesta terça-feira (8/8), o feminicida Leandro de Barros Soares, 43 anos, foi condenado a 25 anos e seis meses de prisão. O homem matou a mulher, a psicóloga Melissa Mazzarello, por asfixia em 17 de junho de 2021 na casa onde moravam, em Sobradinho II. Leandro teve a prisão convertida em preventiva logo depois e está preso desde então.

Trecho da sentença diz que “verifica-se que o réu agiu com dolo intenso, uma vez que o resultado morte por asfixia exige, para certeza do resultado, que a conduta seja praticada de modo ininterrupto, por tempo considerável, ao contrário de métodos por meio dos quais a ação e resultado são imediatos”.

O texto da sentença alegava ainda que diversas testemunhas relataram que não tinha bom relacionamento com seus familiares ou com os da vítima e também dispensava tratamento rude às crianças da família. “De igual modo, a prova testemunhal indica que o réu apresentava personalidade controladora e violenta, em especial com a vítima, a qual já teria sofrido agressões anteriores, tanto física quanto verbais, conforme relatado pelas testemunhas”, alegou a juíza na sentença.

O pai da vítima foi ouvido durante o julgamento. “Duas crianças perderam, em tenra idade, sua mãe e, além de sofrerem eternamente os efeitos irreparáveis de sua perda, ainda se viram privados do contato com o pai, tendo que lidar, também, com o fato dele ser o responsável pela tragédia familiar”, proferiu a juíza na sentença final.

Em 23 de setembro de 2020, Melissa chegou a solicitar uma medida protetiva contra o marido, na 30ª Delegacia de Polícia (São Sebastião). A vítima contou que foi agredida verbalmente e fisicamente, o motivo teria sido uma suposta traição. Devido às recorrentes de agressões por ciúmes excessivo e constrangimento, Melissa pediu medidas protetivas para que Leandro fosse afastado do lar e proibido de manter contato com ela.

Fonte: Mila Ferreira-Correio Braziliense  – Foto: Reprodução / Redes sociais