Cerca de 750 advogados e advogadas de Brasília e várias regiões do DF lotaram na noite desta terça-feira (23) a residência do pré-candidato à OAB/DF, Délio Lins e Silva Jr., no Lago Sul, para acompanhar palestra do criminalista Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, sobre as dificuldades do exercício da advocacia no momento atual do país.

Délio aproveitou o encontro para anunciar a pré-candidata a vice-presidente do Movimento Advocacia Mais Forte – a advogada Cristiane Damasceno Leite Vieira, uma mulher, em respeito ao compromisso de dar mais espaço às lideranças femininas na OAB/DF.  Especialista em Direito Processual Penal e ligada aos direitos humanos, com reconhecido trabalho em políticas públicas, ela também é docente destacada do Centro Universitário de Brasília (CEUB) e do Instituto Brasiliense de Direito Público (IDP).

“Conseguir reunir em tantas oportunidades cada vez mais e diferentes pessoas que apoiam o nosso Movimento e as nossas ideias para a Ordem é um orgulho e um indicativo de que estamos no caminho certo”, agradeceu Délio. “E nesse caminho, que passa essencialmente pela manutenção do Estado Democrático de Direito e das garantias constitucionais, a OAB precisa voltar a ter voz forte, tanto para representar os advogados e a advocacia quanto para apoiar a sociedade nas grandes questões do país – é o que queremos recuperar”.

Fazer um chamamento a todos os advogados para que, em suas atividades diárias, assumam o enfrentamento das questões que colocam em risco o Estado Democrático de Direito e as garantias constitucionais foi justamente a tônica principal da palestra de Antônio Carlos Kakay. “Não se trata de política, muito menos a partidária. É uma questão de ética profissional e inclusive humanista, pois não podemos assistir sem reação à perda de direitos que levaram séculos para serem construídos e incorporados pela nossa sociedade. A advocacia não é atividade para covardes, ainda mais na área criminal, quando está em jogo o bem mais valioso do ser humano, que é a liberdade”, defendeu o criminalista, lembrando que foi o fundador do Centro Acadêmico do Direito da Universidade de Brasília (UnB), em 1980, quando o país ainda estava saindo da ditadura.

“Em 35 anos de profissão, aprendi que o revolucionário, hoje, é fazer cumprir a Constituição. Estamos vivendo um momento de grande ativismo do Judiciário e do Ministério Público, com a criminalização da advocacia. Não há mais respeito com aqueles que defendem os direitos fundamentais do cidadão; nós, advogados, enfrentamos cada vez mais dificuldades de atuação e elas podem piorar porque, como a noite que não chega de uma vez só, estão nos retirando direitos aos poucos”, alertou. “Se não reagirmos agora, corremos o risco de chegar à escuridão completa. Sinto falta de uma OAB atuante e com voz forte num momento intenso como esse, mas eu acredito que Délio está preparado e será um importante instrumento nesse enfrentamento, que precisamos fazer cada um de nós  e sempre juntos, nas atividades diárias, nos Tribunais”.

Délio reforçou o alerta: “Estamos vivendo tempos estranhos, em que a advocacia está sendo enxovalhada, nosso trabalho investigado e criminalizado pelo Ministério Público e pelo Judiciário. Estamos abandonados, desrespeitados. A Ordem precisa de uma postura forte agora. Vamos mostrar que existem advogados e advogadas dispostos a fazer esse enfrentamento para garantir que permaneçamos na trilha dos direitos constitucionais – nós, do Movimento Advocacia Mais Forte, estamos prontos para esse combate. Junto com todos, porque sozinho não se consegue mudar nada”.

A PRÉ-CANDIDATA A VICE-PRESIDENTE

Ao apresentar a pré-candidata a vice-presidente do Movimento, Cristiane Damasceno, Délio disse que foi um presente que chegou na hora certa. “Uma advogada que se fez sozinha na profissão. Mulher, batalhadora, profissional reconhecida, ativista, professora – nosso exemplo e grande reforço para as causas que a Ordem precisa nesse momento”, pontuou.

Cristiane afirmou que ama tanto ser professora como ser advogada e não abre mão de nenhuma das atividades. “Sigo advogada de balcão, do que muito me orgulho, não estou aqui atrás de poder ou cargos, mas para que possamos voltar a ter uma OAB representativa de verdade da advocacia – esse o meu grande ponto em comum com Délio”, afirmou. “Somos, ambos, pessoas com coragem para fazer essa mudança. Nós advogados, e também a sociedade, precisamos urgente de uma OAB fortalecida”.

 

(*) Fonte: Márcia Quadros/ Caiena Multimídia e Comunicação Ltda.