A rede pública de saúde de Brasília (DF) oferece à população, gratuitamente, 18 tipos de vacinas. As doses são aplicadas em 120 salas de vacinação, distribuídas em 28 regiões administrativas e em 23 áreas rurais.

Porém, a dose está disponível nos sete centros de referência para imunobiológicos especiais (Cries) do DF, também sob critérios do Ministério da Saúde. A vacina contra influenza é específica para grupos prioritários, definidos pelo Ministério da Saúde. Para estimular a imunização, uma campanha é feita anualmente — a de 2018 já foi encerrada.

  • Crie do Hospital Regional da Asa Norte
  • Crie do Hospital Materno-Infantil de Brasília
  • Crie do Hospital Regional de Ceilândia
  • Crie do Hospital Regional do Gama
  • Crie do Hospital Regional de Taguatinga
  • Crie do Hospital Regional de Sobradinho
  • Crie do Hospital Regional de Planaltina

Outras informações sobre vacinação pela rede pública do DF estão disponíveis no site da Secretaria de Saúde.

Entenda para que servem algumas das vacinas disponíveis:

  • BCG: protege contra a tuberculose, principalmente contra as formas mais graves da doença
  • Dupla adulto (dT): protege contra difteria e tétano
  • HPV: protege contra o vírus HPV, transmitido pelo contato de pele a pele
  • Influenza: protege contra as infecções respiratória virais que causam febre, coriza, tosse, cefaleia e mal-estar
  • Penta (DTP/Hib/Hep.B): protege contra difteria, tétano, coqueluche (bactéria Bordetella pertussis), infecções graves pelo haemophilus influenzae tipo B(inclusive meningite) e hepatite B
  • Vacina pneumocócica 10 valente (VPC10): previne cerca de 70% das doenças graves (pneumonia, meningite, otite) em crianças, causadas por dez sorotipos de pneumococos
  • Meningocócica C: protege contra a bactéria meningococo C, que pode causar meningite até 4 anos, em duas ou três doses. Um reforço aos 15 meses é recomendado
  • Pneumocócica 23 valente1: protege contra doenças causadas por 23 tipos de pneumococos (espécies de bactérias)
  • Tríplice Viral (SCR): previne contra sarampo, caxumba e rubéola.

(Foto: Andre Borges/Agência Brasília)