Empresas participantes do evento, entre bancos e companhias telefônicas oferecem super descontos na negociação de dívidas.

Para recuperar o poder de compra dos milhares de brasileiros inadimplentes, o Serasa, responsável por reunir informações, fazer análises e pesquisas sobre as pessoas físicas e jurídicas que estão com dívidas financeiras, promoverá durante o mês de novembro o Feirão Limpa Nome. A ação consiste em uma espécie de mutirão que auxilia consumidores com contas atrasadas a negociar e quitar suas dívidas.

 

Com inicio no último dia (04/11), o evento se estenderá até o dia (30/11) e reunirá 31 empresas entre bancos e companhias telefônicas, que oferecerão descontos de até 98% nas dívidas daqueles que se interessarem por quitar seus débitos.

Como funcionará?

 

Para aproveitar os descontos oferecidos, o consumidor deve acessar o site do Feirão Limpa Nome e inserir o CPF para verificar se há débitos com as empresas participantes. Se for o caso, o individuo deve acessar a proposta e, se caso não concordar, dispor uma contra-proposta.

 

Ao ambas as partes consentirem com as condições, a plataforma disponibiliza um boleto que deve ser impresso e em seguida pago.

 

Entre as empresas que participam do Feirão Limpa Nome, estão Santander, Itaú, Recovery, Ativos, Net, Claro, Embatel, Anhaguera, Credsystem, Ipanema, Unopar, Sky, Nextel, Banco BMG, Digio, Hoepers, Porto Seguro, Tricard, Oi, Zema, Unic, Fama, Pitágoras, Uniderp, Unime, Itaucard, Hipercard, Ativos/S.A, Elmo, Tenda, Energisa, EDP e Banco Original.

Negativados no Brasil

 

O número de inadimplência do país chama atenção, e vem crescendo cada vez mais. Somente neste ano, o número de brasileiros com dívidas atrasadas e CPF negativado bateu novo recorde, chegando a 63,2 milhões em abril, o que equivale 40,4% da população adulta do país.

 

“Além dos impactos gerados pela insuficiência da educação financeira do brasileiro, a inadimplência é uma variável que segue as principais tendências do cenário econômico nacional. Nesse sentido, com a estagnação da economia, aumento do desemprego e da inflação ao longo dos primeiros meses de 2019, que impactam diretamente o orçamento doméstico, continuamos a bater recordes no número de consumidores com contas em atraso”, destacou Luiz Rabi, economista da Serasa Experian.

 

Assim, ações como a em questão, fazem-se pertinentes para buscar o controle financeiro dessa parcela da população.

Por  Iasmin Franco