Das muitas inexatas versões

Que hão dentro de mim

Aquela que mais me assusta

É aquela que grita bem alto

Dentro e fora de mim

***

Das muitas quasimodescas versões

Que hão dentro de mim

Há que mais me assombra

É justamente aquela

Que me faz flanar livremente

Para além das infinitudes

Entre os astros-mortos

***

Das muitas alquebradas versões

Que brotam dentro

Do negro estro meu

A que me sufoca

É aquela que rende ignotos tributos

Para a brumosa negra rainha

É a versão que eu quero sufocar

Antes que me sufoque

 

Por Samuel da Costa , Escritor e Poeta

Contato: samueldeitajai@yahoo.com.br