Católico atuante, o deputado João Cardoso (Avante) repercutiu nessa terça (29/10), no plenário da Câmara Legislativa, o documento final do Sínodo para a Amazônia. O texto foi aprovado no Vaticano no último dia 26 pela maioria dos 185 bispos e cardeais participantes, e traz como destaque a defesa da Amazônica com o conceito de “pecado ecológico”.

 

Na ocasião, o parlamentar, que há 31 anos integra o Caminho Neocatecumenal e por 24 anos foi catequista em comunidades de Sobradinho e Paranoá, destacou sua preocupação com as ações destrutivas e/ou omissões que causam prejuízos à natureza. Segundo João Cardoso, a sociedade precisa aprender a usufruir do meio ambiente de uma forma sustentável.

 

“Como católico e auditor fiscal de Atividades Urbanas com especialidade em Meio Ambiente, fico feliz em ver este esforço mundial em defesa do meio ambiente. Independente de religião, ideologias e filiações partidárias, precisamos dar as mãos sempre para proteger nossas florestas e nossas futuras gerações.”, declarou.

 

Um dos 17 novos nomes da CLDF, João Cardoso tem se destacado com votações em defesa do meio ambiente. Além de votar a favor da proibição da distribuição gratuita ou venda de sacolas plásticas no comércio do DF (PL 342/2019), ele foi o único parlamentar a votar contra a ampliação para 18 meses o tempo de adequação para a Lei dos Canudos (6.297/2019), que irá proibir canudos e copos de plásticos nos estabelecimentos comerciais do DF a partir do ano que vem.

 

O engajamento ambiental do deputado também acaba de ser demonstrado com a aprovação da lei 6.400/2019, de sua autoria, que instituiu o Programa Distrital de Incentivo ao Ciclismo nas Unidades de Conservação do DF.

 

Por Clarice Gulyas -Foto: Divulgação