Distrito Federal conta com 72 parques ricos em biodiversidade e opções de contemplação e lazer

Águas e grande biodiversidade marcam paisagem do Cerrado no DF – Ibram-DF

O Cerrado, além de ser o segundo maior bioma do Brasil, estendendo-se por cerca de 25% do território nacional e 12 estados, é considerado a savana mais rica em biodiversidade. A região conta com três das maiores bacias hidrográficas da América do Sul (Tocantins-Araguaia, São Francisco e Prata), o que favorece a variedade de fauna e flora. 

O Distrito Federal conta com 72 parques ricos em fauna e flora nativas do Cerrado. Além da contemplação da natureza, esses espaços possibilitam a prática de esportes, educação ambiental, pesquisa, eventos culturais e sociais. 

A reportagem selecionou dez parques para conhecer o Cerrado de perto no DF.

1. Parque Ecológico Águas Claras – Águas Claras

Além do córrego Águas Claras, o qual deu origem ao nome da cidade,o parque conta com longas e largas trilhas, tornando-o ideal para a prática de corridas e caminhadas. 


Parque Ecológico Águas Claras / Agência Brasília

Diversas quadras, campos e equipamentos de ginástica reforçam a vocação esportiva do espaço, que também propicia a contemplação da natureza e o relaxamento na beira da lagoa e nas sombras das árvores.

2. Parque Ecológico Olhos D’Água – Asa Norte

O parque abriga imensa biodiversidade, incluindo peixes, aves, anfíbios, répteis, invertebrados e pequenos mamíferos, além da rica e bela flora. O local conta também com a Lagoa do Sapo, abastecida por diversas nascentes. 


Parque Olhos D’Àgua / Ibram-DF

Com trilhas bem calçadas, relógio do sol e áreas para contemplação, o espaço serve de palco para diversas atividades culturais, desde espetáculos teatrais e musicais até programações mais alternativas, como encontros de yoga, tai chi chuan ou meditação.

3. Parque Ezechias Heringer – Guará

Também conhecido como Parque do Guará, por ser banhado pelo Córrego Guará, o parque  possui cerrado típico, campos de murundus e densa mata de galeria. Por isso,é dotado de grande biodiversidade, incluindo pequenos mamíferos, avifauna e rica flora.

Entre seus atrativos estão os equipamentos de lazer e esporte, além de um pequeno e bem cuidado orquidário com espécies nativas. 


Parque Ezechias Heringer / Ibram-DF

Seu nome é uma homenagem ao agrônomo pioneiro no estudo do cerrado, Ezechias Heringer, que identificou diversas espécies de orquídeas em todo o território do Distrito Federal.

4. Parque dos Jequitibás – Sobradinho

Este parque abriga área de mata ripária, em sua maior parte conservada, por onde flui o Ribeirão Sobradinho. Árvores de grande porte, como o próprio Jequitibá (que nomeia o parque), somam-se a outras espécies típicas, trazendo à área grande beleza. 


Parque dos Jequitibás / Júnior Nobre

Tem boa infraestrutura, com trilhas, academia ao ar livre, área de lazer e de esportes, o que torna o parque um dos mais visitados do DF.

5. Parque Ecológico Veredinha – Brazlândia

Muitas nascentes de águas límpidas brotam no interior do parque, que possui vegetação variada, entre matas de galeria, cerrado típico, veredas úmidas e uma área de antiga pastagem, que podem ser exploradas por meio de trilhas estreitas. 


Parque Ecológico Veredinha / Ibram-DF

O Parque fica próximo à Basílica Menino Jesus de Praga e à Lagoa de Brazlândia, grandes atrativos turísticos do Distrito Federal.

6. Parque Lago do Cortado – Taguatinga

Situado na região central de Taguatinga, este parque abriga o Ribeirão do Cortado, que contém várias cachoeirinhas. 


Parque Lago do Cortado / Ibram-DF

Por ser um local onde brotam nascentes, foi construída uma passarela suspensa que proporciona condições ideais para a contemplação e observação da natureza. No local, está sendo construído o primeiro Hospital Veterinário Público do DF.

7. Parque Três Meninas – Samambaia

A cultura e a história de Brasília e Samambaia são retratadas no Parque Três Meninas. O local é uma antiga fazenda construída nos anos 60, onde se destacam três pequenas casas feitas pelos antigos proprietários para suas três filhas.


Parque Três Meninas / Ibram-DF

Em meio a esse contexto histórico-cultural, o parque, após revitalização, oferece ainda a seus visitantes pista de skate, parques infantis, quadras poliesportivas e ciclovia.

8. Parque Ecológico das Garças – Lago Norte

Localizado no final do Lago Norte, o parque é conhecido por oferecer excelente ponto de acesso ao Lago Paranoá, onde se forma uma extensa faixa de praia. Sua flora inclui os ipês-amarelos, árvore típica do cerrado, que são visitados por inúmeras espécies de aves. No mês de agosto, quando os ventos são mais constantes no Planalto Central, esta unidade é bastante frequentada por esportistas do Kite e do Wind surf.


Parque das Garças / Divulgação/Brasília Ambiental

Desde maio, moradores se mobilizam contra projeto do GDF de construção imobiliária no local, que pode gerar um grande impacto ambiental. 

“O Parque das Garças é uma conquista e uma benção de quem mora em Brasília. O futuro e progresso nas cidades está na sustentabilidade e na qualidade de vida cidadã. Por isso nossa luta incansável por esse espaço natural maravilhoso que é o nosso patrimônio e deve ser defendido da especulação imobiliária comercial”, afirmou Doralvino Sena, coordenador do Instituto Regenerativo Tempo de Plantar e morador do Lago Norte.

9. Parque Ecológico dos Pequizeiros – Planaltina

Um dos maiores parques do DF, o espaço conta com uma grande área de cerrado muito bem preservado, possibilitando a visualização de diversas espécies da fauna e flora típicas deste bioma. 


Parque Ecológico dos Pequizeiros / Ibram-DF

Suas largas e longas trilhas direcionam o visitante para a bela Cachoeira do Pequizeiro, que fica a quatro quilômetros da entrada. Para realizar visitas, é necessário agendamento prévio.

10. Parque Ecológico do Tororó – Santa Maria

A cachoeira do Tororó é um local onde a paz predomina, oriunda de natureza exuberante e cheia de encantos. Uma trilha íngreme em meio ao cerrado típico leva o visitante a uma das mais altas e belas cachoeiras do DF.


Parque Ecológico do Tororó / Ibram-DF

O barulho da queda d’água mistura-se ao das cigarras e dos pássaros, criando um verdadeiro cenário de filme. 

Fonte: brasildefato.com.br, Edição: Márcia Silva