Criado por Antônio do Livro (foto), o Cultura na Bicicleta leva livros para comunidades do DF

Motivado pelo desejo de espalhar conhecimento a pessoas em vulnerabilidade social, Antônio da Conceição Ferreira, conhecido como Antônio do Livro, ex-cobrador de ônibus do Distrito Federal, teve um projeto de sua autoria aprovado pelo Ministério da Cultura, no mês de outubro, no âmbito do Edital Prêmio Pontos de Leitura.

O Cultura na Bicicleta promove a circulação de livros na periferia de Sobradinho, que são carregados em uma bicicleta por Antônio ao longo de uma rota que ele executa semanalmente, emprestando e pegando devoluções dos exemplares, “como um serviço de delivery”, nas palavras do livreiro.

O projeto tem como principal objetivo levar conhecimento e cultura através dos livros para populações vulneráveis. Com a premiação, o ex-cobrador receberá um auxílio financeiro para expandir o seu projeto e ajudar outras comunidades no DF. “Sinto que é a realização de um sonho. Espero conseguir fazer com que esse projeto cresça ainda mais”, afirma Antonio. “Tenho uma crença fervorosa na transferência de conhecimento de uma geração para outra, por meio do poder transformador da leitura”, acrescenta.

Inspirado por sua própria paixão pela literatura, Antônio iniciou o projeto Cultura no Ônibus em 2003. A iniciativa funcionava como uma biblioteca itinerante instalada no ônibus em que o cobrador trabalhava. O projeto começou com apenas um livro. Com o tempo, a quantidade de obras cresceu a ponto de encher uma caixa de sapatos próxima à roleta do ônibus. A proposta chamou a atenção da empresa onde Antônio trabalhava, a Viação Piracicabana, que o liberou de suas funções como cobrador para atuar como gestor cultural. Mais tarde, o Cultura no Ônibus daria origem ao Cultura na Bicicleta.

Trajetória

Nascido no interior do Maranhão, Antônio começou a trabalhar ainda na infância, contribuindo para o sustento de seus pais agricultores. Sua alfabetização ocorreu tardiamente, aos 13 anos. O gosto pela leitura surgiu com as páginas de jornal que seu pai utilizava como embalagem para as compras de casa.

Após se mudar para Brasília em busca de oportunidades de emprego, teve seu primeiro encontro significativo com a literatura ao ler “Capitães da Areia”, de Jorge Amado. Nessa obra, Antônio encontrou paralelos entre os anseios dos garotos retratados pelo escritor baiano e seus próprios sonhos.

Sua história foi contada, pela primeira vez, em uma matéria de Marcelo Abreu no Correio Braziliense, em 2008, quando ainda era cobrador da linha 82, de Sobradinho ao Núcleo Bandeirante. De lá para cá, Antônio foi personagem de diversas matérias e ganhou espaço entre os personagens notáveis da cidade.

Primeira matéria do Correio sobre Antônio do Livro, de Marcelo Abreu, em 2008 – (foto: Reprodução Correio Braziliense)

Tags

#Caixa

#cultura

#literatura

#premiação

#sobradinho

Fonte: Bruno Azambuja/CB  – Estagiário sob a supervisão de Priscila Crispi/CB , Foto: Carlos Vieira/CB