De 8 até 22 de junho, registros passaram de 27.184 para 31.154 casos; no entanto, Saúde diz que números estão caindo

Apesar de ser inverno, o Aedes Aegypti continua a gerar vítimas no Distrito Federal. No período de duas semanas, do dia 08 ao dia 22 deste mês, a Secretaria de Saúde recebeu 4.401 novas notificações sobre a doença. Destas, 3.970 foram reconhecidas como casos prováveis de Dengue.

A Região Norte de Saúde- que abrange Fercal, Planaltina e Sobradinho- ainda detém a maior parte dos casos registrados. No local, houve 6.475 vítimas, o que representa 20,8% do total de ocorrências.

A Região de Saúde Leste- Itapoã, Jardim Botânico e São Sebastião- e a Região de Saúde Sudeste- Águas Claras, Sudoeste, Recanto e Samambaia- também apresentam altos índices. Cada uma possui 18% dos casos.

Desde o inicio do ano, houve 31 óbitos, 47 casos graves que sobreviveram e 619 casos de dengue com sinais de alarme. O grupo de idade mais afetado está entre os 20 a 49 anos.

Ontem, o Governo do Distrito Federal anunciou o fim da força-tarefa de hidratação. As tendas que estavam sendo montadas em frente as Unidades de Saúde, em cada Região Administrativa, não funcionarão mais.

De acordo com o subsecretário de Atenção Integral à Saúde, Ricardo Ramos, as tendas cumpriram seu papel e houve uma redução expressiva na procura por atendimento. Desta forma, todas foram desativadas no último final de semana.

A partir de agora, quem precisar de atendimento contra a dengue terá de recorrer às unidades básicas de saúde, às Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e aos hospitais regionais.

 

 

Por Andressa Reis/Destak Brasilia – Foto: Breno Esaki/ Divulgação Saúde