A melhoria de vida de moradores de determinadas comunidades do DF e de outras unidades da federação por parte de políticos, não é nenhum favor é um dever. Ele não deve ser bajulado ou receber medalhas por isso. É uma obrigação do representante escolhido pelo povo a luta por sua gente. O dinheiro das emendas parlamentares vem do bolso do contribuinte, não pertence aos políticos, mas ao povo. O papel do político é canalizar esses recursos, usar essas emendas para melhorar a vida das pessoas e não estagnar esperando o tempo passe para depois se beneficiar politicamente com o dinheiro público mostrando que está fazendo algo. O grito que ecoa nas cidades do DF é de abandono. Falta saúde, de segurança, educação e emprego. Faltam políticas públicas que ofereçam expectativas de um futuro melhor para nossos jovens, que vivem ansiosos para se sentirem úteis a realizar sonhos. A comunidade da Vila Rabelo em Sobradinho ll por exemplo, vive sob um total abandono, começa com a falta de saneamento básico, de calçadas nas ruas, não tem posto de saúde, falta creche para que as mães possam deixar os filhos e ir trabalhar, falta mais transporte, faltar diversão para os pequenos como parquinhos de diversão entre outras benfeitorias. O político é o guardião da comunidade e da sociedade, e não de seus interesses individuais ou de pequenos grupos. Esperamos que os novos parlamentares eleitos venham para servir ao povo e não para serem servidos.

 

Por Ferreira Santos/jornalista comunitário.