Programa itinerante do GDF amplia o trabalho iniciado em hotel com população incluída no grupo de risco ao contágio do novo coronavírus

O aposentado Francisco Rodrigues é hipertenso e foi rapidamente atendido. Foto: Lúcio Bernardo Jr. / Agência Brasília

O aposentado Francisco Rodrigues, de 71 anos, passava pela Avenida Principal, em Sobradinho II, quando viu as tendas do Sua Vida Vale Muito. A ação itinerante, promovida pela Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus), esteve de quinta a este sábado (19) na região e é um dos braços do Governo do Distrito Federal (GDF) no atendimento à população idosa na prevenção e no controle do contágio do novo coronavírus no DF.

Acompanhado da filha, Francisco, que é hipertenso, foi logo atendido. Passou por uma triagem de enfermaria e por um dos médicos do serviço. O respeito aos protocolos de segurança determinado pelas autoridades sanitárias foi obedecido, garantindo a proteção do grupo que mais tem cumprido o isolamento social durante a pandemia. Temendo o contágio da Covid-19, muitos têm evitado, inclusive, as consultas e acompanhamentos médicos de rotina.

No estacionamento externo da Feira Permanente de Sobradinho II, não só os idosos receberam orientações sobre a Covid-19. Seus familiares e acompanhantes também. Uma equipe de médicos, assistentes sociais, nutricionistas, psicólogos, fisioterapeutas, e até um massoterapeuta fizeram o atendimento – todo voluntário -, que seguiu das 9h às 17h. A média diária foi de 80 pacientes. A ação seguirá para o Itapoã.

“A população precisa e nós estamos aqui para ajudar, buscando atender o maior número de pessoas possível, cuidando da saúde física e mental desses idosos que mal estão saindo de casa”, observa a secretária de Justiça e Cidadania do DF, Marcela Passamani. Toda a equipe de atendimento faz parte do Programa Voluntário em Ação, que já conta com 27 mil profissionais cadastrados. Não há custo para o GDF no pagamento desses colaboradores.

Carinho e atenção

A pediatra e otorrinolaringologista Carine Petry é uma desses voluntários. Com o propósito de orientar e desmistificar a Covid-19 para a população, ela se dispôs a passar parte do sábado na tenda orientando os idosos tanto no tratamento quanto na profilaxia da doença. “São pessoas em extremo isolamento social e que carecem também de atenção. Muitos estão há seis meses sem qualquer acompanhamento médico, por isso é tão relevante a presença do Sua Vida Vale Muito aqui”, diz a médica.

Já para o fisioterapeuta Leonardo Soares, outro voluntário da ação, por estarem muito tempo parados, sem sequer sair de casa, os pacientes estão desenvolvendo sintomas de doenças que muitas vezes podem ser tratadas sem precisar de remédios. “A patologia do idoso é a falta de movimento. A gente tem a cultura do medicamento, mas é a mobilidade o caminho de vários tratamentos”, comenta.

Tudo de graça

“Foi uma maravilha. Arejado, sem aglomeração, além de eu ser muito bem tratada e atendida. Foi Deus que pôs isso aqui”, disse a aposentada Eni Gonçalves. Foto: Lúcio Bernardo Jr. / Agência Brasília

Aos 62 anos, a aposentada Eni Gonçalves resolveu buscar atendimento médico, psicológico e fisioterápico, ali, de graça. E que era para ser um sábado de um simples exame de rotina o fez sair com atenção e uma receita dos remédios de pressão que ele toma todos dias, mas que estava sem por evitar consultas médicas em hospitais e postos com muitas pessoas juntas.

“Foi uma maravilha. Arejado, sem aglomeração, além de eu ser muito bem tratada e atendida. Foi Deus que pôs isso aqui.”

A diarista Vandeclea Rodrigues, de 34 anos, é filha do seu Francisco que o acompanhou na consulta. Para ela, a prestação do serviço serviu bastante, já que o pai estava com a pressão alta e em casa eles nem perceberam, por ele não estar sentido nada. “Esse atendimento foi muito bom e seguro. Vamos voltar agora já com o medicamento comprado.”

Todas as RAs

Sobradinho II é a segunda região administrativa a receber a iniciativa. A primeira foi Ceilândia. Foto: Lúcio Bernardo Jr. / Agência Brasília

Sobradinho II é a segunda região administrativa a receber a iniciativa. A primeira foi Ceilândia. Por lá, foram realizados 476 atendimentos entre 21 de agosto e 5 de setembro. A proposta da Secretaria de Justiça e Cidadania é que a ação itinerante percorra todo o DF. “Ações como essa fazem com que a dignidade das pessoas e dos idosos seja atendida”, acredita o coordenador da Força Tarefa Covid-19 no DF e procurador do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), Eduardo Sabo.

Esta é a segunda fase do Programa Sua Vida Vale Muito. A primeira foi a Hotelaria Solidária, responsável por hospedar 300 idosos no Brasília Palace Hotel. Por 90 dias, entre os meses de abril e julho, o grupo considerado de risco aprendeu a se proteger contra a Covid-19 e a importância de adquirir hábitos saudáveis no dia a dia.

O acompanhamento dos idosos hospedados no hotel segue virtualmente. Por meio de grupos de WhatsApp, voluntários do governo oferecem atendimentos semelhantes aos prestados na hotelaria, porém a distância, contribuindo para volta à rotina desses idosos que deixaram o hotel em 22 de julho.

Fonte: Hédio Ferreira Júnior, da Agência Brasília , Edição: Carolina Jardon