A terceira dose da vacina contra a Covid-19 será aplicada em idosos com mais de 70 anos e imunossuprimidos. A informação foi confirmada à CBN pelo secretário-executivo do Ministério. A Organização Pan-Americana da Saúde orienta que os governos aguardem a conclusão de estudos para decidir sobre a terceira dose, mas cada país tem autonomia para definir sua estratégia.

O Ministério da Saúde vai começar a aplicar a terceira dose da vacina contra a COVID-19 para idosos acima de 70 anos e pessoas imunossuprimidas, a partir do dia 15 de setembro.

A informação foi confirmada à CBN pelo secretário-executivo da pasta, Rodrigo Cruz.

O intervalo da segunda dose deve ser de 28 dias para pessoas imunossuprimidas e pelo menos 6 meses para idosos acima de 70 anos.

O reforço vacinal será feito com a vacina da Pfizer.

A data do dia 15 de setembro foi definida porque é o prazo estimado pelo Ministério para que todos os adultos já tenham tomado pelo menos a primeira dose contra a COVID no país.

O vice-diretor-geral da OPA, Jarbas Barbosa, afirmou à CBN que ainda não existe uma recomendação oficial da organização pan-americana de saúde para aplicação de terceira dose. Mas pontuou que cada país tem liberdade para definir os critérios.

“Recomendações como essa só devem ser feitas quando existem dados científicos muito consistentes. As evidências ainda estão sendo produzidas. Na medida em que elas são analisadas, a recomendação pode mudar. Pode ser que daqui algumas semanas isso mude. Mas, neste momento, a prioridade é para uso das vacinas para alcançar um alto grau de imunidade da população com as duas doses. É isso que vai evitar que novas variantes surjam”

Também a partir do próximo mês, o intervalo entre as doses da Pfizer e AstraZeneca passará de 12 para 8 semanas para toda a população.

Fonte:cbn.globoradio.globo.com