Instituído pelo Art. 236 da Lei nº 8112/1990, o Dia do Servidor Público é comemorado nacionalmente em 28 de outubro. Com a finalidade de prestar homenagem aos trabalhadores, a Câmara Legislativa realizou sessão solene remota nesta quarta-feira (27) e contou com a participação de representantes de entidades defensoras dos profissionais de diversas carreiras.

Como servidor público de duas carreiras, o deputado João Cardoso (Avante), afirmou conhecer de perto a realidade vivida pelos trabalhadores, as dificuldades e os anseios da categoria por melhorias. “Hoje, como parlamentar, apoio todas as batalhas enfrentadas pelo servidor público, que dedica sua vida em servir ao próximo por meio do Estado”, afirmou. Para o distrital, são estes profissionais os “guardiões” do poder público. “Políticos passam, governadores passam e só quem permanece são os servidores”, completou.

Já o presidente do Sindicato dos Policiais Civis do DF, Alex Galvão, em defesa da importância dos servidores, destacou que inúmeras áreas não existiriam sem a atuação dos profissionais. “Não temos segurança, não temos saúde, não temos educação, não temos arrecadação e não temos o funcionamento do Estado sem o servidor público”, afirmou.

O que os servidores reivindicam?

Para o parlamentar, existem muitos obstáculos a serem enfrentados, como a falta de estrutura e insumos, desvalorização do plano de carreira, salários defasados, decurso de atividades insalubres e horas extras, o que desmotiva os trabalhadores.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Servidores do Poder Legislativo e do Tribunal de Contas do DF, Jeizon Silverio, em caso de crises econômicas, o servidor público é um dos principais profissionais a ser comprometido pelos maus tempos. “Os profissionais são colocados como ‘bodes expiatórios’ e responsabilizados pelas crises econômicas”, desabafou. O presidente apontou também que um dos principais problemas que afetam os trabalhadores é a nomenclatura, uma vez que a própria Lei nº 8112/1990 não observa algumas categorias como servidores públicos.

Já o presidente da Associação dos Servidores do Ibram, Almir Figueiredo, afirmou que é um anseio dos profissionais a melhoria do ambiente e dos recursos de trabalho, tanto que, segundo Almir, alguns deles adquiriram por conta própria equipamentos para desempenhar suas funções. “Nós estamos sempre tentando melhorar a prestação de serviço público. Muitos de nós compraram notebook, poltrona e até mudaram o layout de casa para se ter um melhor ambiente de trabalho”, declarou.

Ainda na sessão, a diretora do Sindicato dos Professores (Sinpro-DF), Luciana Custódio, afirmou que a luta dos colaboradores é diária. “O dia de hoje é um dia de comemoração, sim, mas também é um dia de debate político e de luta, assim como todos os dias, pois o contexto que vivemos no Brasil é muito dramático”, disse.

Crédito: Warley Júnior (estagiário) – Agência CLDF