Brasília registrou inflação de 1,44% em março, sendo a segunda maior taxa entre as 16 regiões metropolitanas/municípios pesquisados, e o maior valor para o mês de março desde 2014 (1,92%). Ficou 0,26 ponto percentual (p.p.) acima da taxa de fevereiro (1,18%) e foi superior ao calculado em nível nacional (0,93%). São dados do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), publicado hoje (09/04) pelo IBGE. Na variação acumulada no ano, o índice está em 2,69%, conferindo a Brasília a segunda maior taxa do país, e na variação acumulada em 12 meses, 6,19%.

Dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados em Brasília, quatro apresentaram altas em março, sendo transportes o grupo com a maior variação mensal (4,94%) e maior impacto (1,11 ponto percentual) no cálculo do índice geral. Foi a maior variação mensal desde março de 2014, quando o grupo registrou alta de 5,45%. Destaque para altas nos preços do item combustíveis (12,06%) e seus subitens etanol (22,52%), gasolina (12,03%) e óleo diesel (9,90%). Destaques também para as altas de 4,17% e 4,00% nos subitens transporte por aplicativo e transporte escolar, respectivamente. Vale destacar que Brasília registrou a maior variação acumulada no ano (9,24%), para o grupo de transportes, na comparação com as 16 regiões metropolitanas/municípios pesquisados.

O grupo alimentação e bebidas (1,16%) teve o segundo maior impacto (0,19 ponto percentual) no índice de março. Os produtos com maiores altas neste grupo foram: mamão (29,24%); manga (28,53%); pão de queijo (6,10%); brócolis (5,80%); feijão-preto (5,65%); laranja-pera (4,70%). No lado das quedas, destaques para tomate (-9,27%); cenoura (-8,89%); maçã (-5,22%); couve-flor (-4,73%); óleo de soja (-4,02%). Vale destacar que o IPCA do grupo alimentação e bebidas acumula, em 12 meses, uma inflação de 12,73%.

Outro grupo com destaque no lado das altas, em março, na capital federal, foi habitação (1,16%). Destaque para alta no preço do gás de botijão (5,66%), que acumulam em 1 ano e em 12 meses variações de 13,07% e 21,02%, respectivamente.

IPCA – Variação mensal e acumulada no ano (%) – Índice geral e grupos de produtos e serviços – Brasília – DF – março 2021

Fonte: IBGE, Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo

IPCA é calculado pelo IBGE desde 1980, se refere às famílias com rendimento monetário de um a 40 salários mínimos, qualquer que seja a fonte, e abrange dez regiões metropolitanas do país, além dos municípios de Goiânia, Campo Grande, Rio Branco, São Luís, Aracaju e Brasília.

Para o cálculo do índice do mês, foram comparados os preços coletados no período de 2 a 29 de março de 2021 (referência) com os preços vigentes no período de 29 janeiro a 1° de março de 2021 (base).

Cabe lembrar que, em virtude do quadro de emergência de saúde pública causado pela COVID-19, o IBGE suspendeu, no dia 18 de março de 2020, a coleta presencial de preços nos locais de compra. A partir dessa data, os preços passaram a ser coletados por outros meios, como pesquisas realizadas em sites de internet, por telefone ou por e-mail.

Leia mais:

(Release Nacional) IPCA foi de 0,93% em março

(Notícia Agência IBGE) Inflação fica em 0,93% em março, maior alta para o mês desde 2015

SDI/DF